Exército Brasileiro está em processo de renovação de sua artilharia

O Exército brasileiro está em processo de renovação de sua artilharia, com a aquisição de 36 obuseiros, avaliados em R$ 1 bilhão. Estes novos equipamentos substituirão os modelos adquiridos entre a Segunda Guerra Mundial e a década de 1970. Os obuseiros são peças de artilharia móveis de longo alcance, capazes de realizar tiros em trajetórias curvas, e podem ser montados em veículos blindados, proporcionando alta mobilidade e articulação de armas combinadas.

O investimento estimado para cada modelo é de US$ 5 milhões (R$ 24 milhões), totalizando um gasto próximo de US$ 180 milhões, ou aproximadamente R$ 900 milhões na conversão atual, com um acréscimo de 15% a 20% referente a treinamento e capacitação das tropas. O orçamento para a compra será proveniente de recursos garantidos pelas Forças Armadas no Novo PAC, programa de infraestrutura criado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que assegurou R$ 6,7 bilhões para projetos de defesa no período de 2024 a 2027.

O estado das negociações

O Exército Brasileiro abriu a proposta de compra de obuseiros autopropulsados de 155 mm em agosto de 2023 e o prazo final para as empresas interessadas se manifestarem foi estendido para 6 de fevereiro de 2024.

Os militares entrarão em diálogo competitivo com as empresas selecionadas, onde os termos finais do acordo serão acertados. O critério principal para a escolha do modelo não é o preço, mas sim as contrapartidas que as empresas oferecerem, como transferência de tecnologia ou a nacionalização de algum elemento fabril.

A produção das munições dos obuseiros deverá ser feita em parceria com uma empresa brasileira, e a Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) é a favorita para isso, segundo fontes da CNN. A empresa vitoriosa e o modelo escolhido estão programados para ser anunciados em maio de 2024, com a primeira entrega chegando em 2025 e as subsequentes sendo feitas pelos próximos dez anos, até 2035.

A aquisição de obuseiros autopropulsados faz parte do plano do Exército Brasileiro de modernização de seus sistemas de artilharia e armamentos pesados. Essa modernização visa melhorar a mobilidade e a capacidade de fogo das forças mecanizadas do exército brasileiro. O valor total da aquisição está estimado em R$ 6,7 bilhões, sendo que R$ 900 milhões serão destinados à compra de veículos blindados de combate.

A licitação inclui ainda a transferência de tecnologia e o treinamento e capacitação dos militares brasileiros. Com essa renovação, o Exército Brasileiro poderá contar com sistemas de artilharia mais modernos e eficientes, capazes de atender às demandas do país em termos de defesa nacional.

Perguntas Frequentes

Quais são as novas armas que o Exército Brasileiro pretende adquirir?

O Exército Brasileiro planeja adquirir 36 novos obuseiros para substituir os modelos adquiridos entre a Segunda Guerra Mundial e a década de 1970. Os novos obuseiros serão capazes de atingir alvos a uma distância de até 30 km.

Qual é o orçamento destinado à renovação da artilharia do Exército Brasileiro?

O orçamento destinado à renovação da artilharia do Exército Brasileiro é de cerca de R$ 1 bilhão.

Quantas novas peças de artilharia estão planejadas para a compra pelo Exército Brasileiro?

O Exército Brasileiro planeja adquirir 36 novos obuseiros para substituir os modelos antigos.

Como a modernização da artilharia impactará a capacidade defensiva do Brasil?

A modernização da artilharia aumentará a capacidade defensiva do Brasil, permitindo que o Exército Brasileiro responda a ameaças de longo alcance com maior precisão e eficácia.

Quais são os principais fabricantes envolvidos nas negociações com o Exército Brasileiro?

Os principais fabricantes envolvidos nas negociações com o Exército Brasileiro ainda não foram divulgados. O Exército Brasileiro está na fase final de seleção para a compra dos novos obuseiros.

Qual é o prazo estimado para a entrega das novas unidades de artilharia ao Exército Brasileiro?

O prazo estimado para a entrega das novas unidades de artilharia ao Exército Brasileiro é em maio de 2024. O Exército Brasileiro está na fase final de seleção para a compra dos novos obuseiros.

Sobre o Autor

Ubiratan Motta
Ubiratan Motta

Historiador que dedicou sua vida à carreira militar. Especialista em recursos humanos e logística, e com vasta experiência em operações e missões das Forças Armadas.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.